sábado, 12 de dezembro de 2009

Teologia da Libertação está tão viva quanto toda a criação do Deus

Caro amigo irmão Lázaro, desculpe a demora em te responder.

Acredito que a Teologia da Libertação está tão viva quanto toda a criação do Deus criador e defensor da vida. Ela entra em dores de parto, não morre e faz nascer, traz vida nova para a Igreja e a Humanidade.

Com certeza a Teologia da Libertação tem muito a contribuir nestes novos tempos de mudanças de época e de paradigmas. Ela exerce um papel profético, mostrando o pobre e nele o rosto do Cristo. O pobre é a Criação de Deus que sofre e o próprio Deus que também sofre, mas faz a vida resistir e se regenerar.

A TdL mostra que só existe uma forma de a Igreja evangelizar os ricos, que é fazendo a radical opção pelos pobres. Quando a Igreja não assume a causa dos pobres, ela engana a humanidade e trai o próprio Deus. Por isso a importância da TdL para que a Igreja seja autêntica e coerente com o Evangelho de Jesus Cristo.

São muitos os desafios da TdL para a próxima década. O primeiro e o de sempre, é o desafio de ser compreendida pela própria Igreja. A TdL, por vezes, é uma voz que grita no deserto. E estamos num tempo de deserto.
Um abraço natalino
Pilato Pereira

PS.: Lázaro, espero que tu atualize nosso blog. esqueceu como fazer?

A Teologia da Libertação morreu?

Paz e Bem!
Como estão? espero que estejam bem e com muita saúde.
Venho atraves deste email fazer dua perguntas:
A Teologia da Libertação morreu?
Quais são as contribuições que a T.d.L pode dar a Igreja e os seus desafios para a próxima decada?
Muito obrigado a todos e todas
um abraço
Lázaro

sábado, 31 de outubro de 2009

Encontro de Formação e Articulação da Pastoral da Ecologia

Encontro será dia 21 de novembro, das 8:30 às 16 horas na CNBB, em Porto Alegre.

Em muitas comunidades, paróquias e dioceses do Rio Grande do Sul já existem pessoas organizadas, grupos se organizando e movimentando a Igreja e a sociedade para a causa ecológica. A Igreja no Rio Grande do Sul (CNBB Sul 3) quer reconhecer e fortalecer todas as práticas já existentes no campo da ecologia e fomentar novas iniciativas para que de fato tenhamos uma Pastoral da Ecologia.

Para isso foi programado um encontro de formação e articulação, em Porto Alegre, na sede da CNBB, para o dia 21 de novembro.

Para este encontro, está sendo convidada uma representação de cada diocese do regional e outras pessoas que já estão atuando ou que pretendem atuar em sua comunidade, numa pastoral específica para a causa ecológica.

Trata-se de um encontro de formação e articulação, onde serão abordados temas referentes à crise ecológica e a visão cristã de ecologia. Também haverá um momento de encaminhamentos práticos de como organizar a Pastoral da Ecologia nas comunidades, paróquias e dioceses.

Data: 21 de Novembro (sábado) Hora: 8h às 16h, com almoço no local Local: CNBB Sul 3 – Av. Cristóvão Colombo, 149 - Porto Alegre – RS

Para maiores informações e confirmação de presenças:
(51) 9899.5706 - Natália; (51) 8546.3317 - Pilato; (51) 3225.8483 - CNBB
Por e-mail: pastoraldaecologia.rs@gmail.com ou freipilato@gmail.com

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Romaria das Águas: respeito à natureza e a liberdade e diversidade religiosa


Como acontecem todos os anos, o dia 12 de outubro é um dia de grandes e muitas romarias em honra de Nossa Senhora Aparecida.


Há 16 anos acontece em Porto Alegre a Romaria das Águas, em homenagem a Nossa Senhora Aparecida das Águas, uma devoção que iniciou com os catadores de lixo das Ilhas do Guaíba.


Neste dia 12 de outubro, de 2009, a Romaria das Águas em Porto Alegre, mesmo constando no calendário do município e tendo recursos aprovado no orçamento, não contou com apoio governamental, como já aconteceu em outras edições. Nem sempre a Romaria recebe o apoio de governo. Como também ainda não é um evento oficialmente apoiado pela Igreja.


Sempre teve a presença de padres e religiosos e até de bispos e é promovida com a parceria da Pastoral da Ecologia da CNBB, mas a Romaria das Águas ainda não tem recebido apoio oficial da Igreja Católica. Outras Igrejas cristãs participam e colaboram na organização do evento, mas a participação decisiva se dá pelas religiões de matriz africana, especialmente a Umbanda.


A Romaria das Águas, em Porto Alegre, tem chamado a atenção das religiões afro-brasileiras devido ao seu caráter ecumênico, ecológico e o respeito às diferenças culturais e religiosas.


A Romaria das Águas, por ser um ato de tão grande ecumenismo, de tão amplo dialogo inter-religioso, talvez não pudesse acontecer dentro de um templo, de uma catedral edificada por uma determinada religião ou igreja. Um evento dessa envergadura ecumênica só pode acontecer num templo aberto da natureza, o templo que o próprio Deus construiu. A natureza é o lugar próprio para celebrar e louvar o criador da vida. No templo da natureza não existe preconceitos e desrespeitos com as diferenças. A natureza nos ensina a sermos irmãos e vivermos a união na diversidade.


Com relação à 16ª edição da Romaria das Águas, de 2009, é importante denunciar que não foram investidos os recursos que constam no orçamento da Prefeitura de Porto Alegre para apoiar este evento, que também faz parte do calendário do município. O apoio necessário não veio do poder público. A Prefeitura de Porto Alegre, do governo Fogaça, apenas ajudou com algumas migalhas.


Nesta edição, a Romaria das Águas teve maior concentração no largo do Gasômetro, de onde partiu um barco de passeio com a imagem de Nossa Senhora até o Pontal do Estaleiro Só, local que foi alvo da consulta pública no dia 23 de agosto por conta dos projetos de privatização da orla do Guaíba.


A 16ª Romaria das Águas foi encerrada com um ato ecumênico que reuniu milhares de pessoas no largo do Gasômetro. Além dos fiéis, devotos de Nossa Senhora e militantes ambientalistas, outras milhares de pessoas que passeavam ou participavam da Feira de Artesanato na Usina do Gasômetro, também se integraram ao ato ecumênico da Romaria.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

16ª Romaria das Águas



Das 9 às 12 hs
– Oficinas, filmes, praça de alimentação (Peixe na Taquara), artesanatos, apresentações, músicas

12 hs – Ato político de caráter ecológico

13:30 – Saída barco do passeio

14 hs – Saída Imagem grande do Santuário e dos romeiros do clube.

15 hs Celebração da Vida – Ato Inter-Religioso

16 hs Encerramento

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Orgulho de ser gaúcho?

por Júlio Lázaro Torma

Nesta semana o estado do Rio Grande do Sul,os gaúchos da diáspora que moram em outros estados e países os seus descendentes,comemoram a semana farroupilha, o dia 20 de setembro, o inicio da " Revolução Farroupilha" ou da "guerra dos farrapos"( 1835-1845).

Um dos conflitos mais longos da história do estado e do Brasil, onde os lideres farroupilha,fundaram a República de Piratini( 1836-1845), que firmou a identidade de ser gaúcho,ser contra o poder central. Pois o gaúcho era antes sinônimo de vagabundo,andarilho, ladrão de gado, andante pelos campos da pampa.

Segundo a ideologia dominante da época e que se manteve até a segunda metade do século XX,quando foi fundado o primeiro Centro de Tradições Gaúchas ( C TG),no Colégio Júlio de Castilhos em Porto Alegre.

Tal ideologia gerou os massacres dos índios charruas no dia 11 de abril de 1831,por Flutuoso Riveira em Salsipuedes no Uruguay, o massacre dos lanceiros negros no morro dos Porongos em Pinheiro Machado( RS), após a revolução farroupilha(1845), é contestada no famoso épico do gauchismo " Martin Fierro"( 1872) de José Hernandez.

Hoje ser gaúcho é um orgulho regional,cultivado pelo MTG( Movimento de Tradições Gaúchas), mídia e incentivado pelos governos do estado,se tornando uma ideologia o "gaúchismo".Ideologia está que se tornou peças de marketing,como :" há,há eu sou gaúcho!", "Ter orgulho de ser gaúcho!","Nós os gaúchos somos os melhores"...

O que vemos no estado, é uma situação de vergonha, onde a elite gaúcha,o governo do estado, o ministério público estadual, estão em estado de decomposição,verdadeiros sepulcros caiados.
Os fatos de desvios éticos e morais de quem deveria administrar com justiça os bens do povo,a criminalização dos movimentos sociais,o assassinato de trabalhadores como Elton Brum da Silva,prisão de lideranças e militantes de movimentos sociais do campo e da cidade.

Criminalização praticada pelos poderes constituídos,como governo do estado, MPE, policia,tem dado incentivo ao crime organizado,nas áreas populares,onde os criminoso ameaçam a população indefesa,reprimem os militantes sociais,com ameaças,invasões de domicílios...

Pois eles sabem que não vão serem reprimidos pela policia,pelo poder judiciário,tais ações deles poderão levar a ações extremas dos orgãos estatais como aconteceu em maio de 2007 em São Paulo,onde a população indefesa foi vitima.

Eu como cidadão gaúcho tenho vergonha de morar num estado dominado por bandidos,sejam eles criminosos deliqüentes como políticos corruptos e imundos,que usam o poder para se protegerem.
O orgulho de ser gaúcho,acabou,principalmente, o nde os ideais farroupilha de "Igualdade, Fraternidade,Liberdade",se converteram em " Corrupção, violência e impunidade".
Será que poderemos celebrar o 20 de setembro?


sábado, 29 de agosto de 2009

Mais uma vaia para a Brigada Militar


Não bastasse o episódio de São Gabriel, quando a polícia, além de praticar tortura, matou um trabalhador Sem Terra. Agora, a Brigada Militar, a polícia do Estado do Rio Grande do Sul comete outro ato de desagrado que merece outra vai. Em São Gabriel foi algo completamente injustificável. Na verdade, lá foram dois fatos estarrecedores praticados pela Brigada Militar (BM). Teve uma ação de tortura e outra de assassinato cometida por agentes da polícia do Estado. Primeiro, no dia 12 de julho, aconteceu prática de tortura por parte da Brigada Militar numa ação de reintegração de posse da Prefeitura de São Gabriel (RS). Na ação da BM os manifestantes foram encurralados dentro da própria Prefeitura, onde foram golpeados com cacetete, chutes e tapas dos policiais.


Dez dias depois a mesma Brigada Militar, na manhã de 21 de agosto, matou um trabalhador Sem Terra durante uma desocupação na fazenda Southall no mesmo município de São Gabriel. Elton Brum da Silva, um trabalhador de 44 anos, com dois filhos, que sonhava conquistar um pedaço de terra para sua família, foi morto pela polícia com um tiro traiçoeiro e à queima-roupa.


Tendo identificado o autor do tiro, a Brigada Militar não revela esse dado para a população. A polícia que deveria dar bom exemplo, simplesmente esconde seus crimes e seus criminosos. Mas, não adianta tapar o Sol com a peneira. Sabemos que o autor do tiro que matou o trabalhador Elton Brum da Silva pode ter sido um simples soldado, que apenas puxou o gatilho de seus superiores: o comando da Polícia e o Governo do Estado.


Não precisamos saber o nome do policial que matou Elton. Sabemos que se trata de um crime do Estado, do Governo da Yeda Crusius, um crime da Polícia Estatal. É um crime político contra a Democracia e a Humanidade; um ato estúpido que ferre os princípios republicanos. Vamos celebrar o 20 de Setembro, a festa da Revolução Farroupilha, com a bandeira republicana manchada de sangue. E vamos sentir vergonha quando a Brigada Militar desfilar na parada cívica do próximo 20 de setembro.


Pois, além deste fato recente de São Gabriel, a polícia do Rio Grande do Sul nos escandalizou novamente quando prendeu um motorista de ônibus em Canoas. Aconteceu que uma mulher passava mal no ônibus e o motorista preocupado com todos os passageiros buscou o apoio da Brigada Militar. Os policiais simplesmente ignoraram o pedido do motorista que solicitou que levassem a mulher para o hospital. Ele, como um ser humano se indignou com aquele bando de homens sem trabalhar no posto da polícia e que não quiseram socorrer uma pessoa sofrendo convulsões.


O condutor do ônibus, um trabalhador que sabe que é seu suor que sustenta a polícia, falou com voz de indignação e revolta por tudo aquilo que estava acontecendo. Mas ele fez a sua parte. Levou a mulher no ônibus para o hospital. Enquanto que a polícia, com homens psicologicamente despreparados, seguiu o ônibus até o hospital. E, de uma maneira brusca, violenta prendeu o motorista como se ele tivesse desacatado a “autoridade”.

Esta tal autoridade da Brigada Militar merece desacato mesmo, merece boas vaias. Vamos sentir muita vergonha e náusea ao ver a polícia gaúcha desfilando com nossa bandeira na festa de 20 de setembro.


Frei Pilato Pereira

domingo, 23 de agosto de 2009

Vitória do NÃO

A vitória do NÃO na Consulta Pública sobre o Pontal do Estaleiro


A Consulta Pública realizada neste domingo, dia 23 de agosto, em Porto Alegre, para decidir sobre edificações no Pontal do Estaleiro, na Orla do Guaíba, contou com a participação de 22.619 votantes, sendo 22.574 válidos, 22 nulos e 23 em branco.


A opção “NÃO” recebeu 18.212 votos (80,7% dos válidos), enquanto o “SIM” recebeu apenas 4.362 votantes (19,3%).

Confirmação no site da Prefeitura de Porto Alegre.


Na consulta pública, a população respondeu à seguinte pergunta: “Além da atividade comercial já autorizada pela Lei Complementar 470, de 2/1/2002, devem também ser permitidas edificações destinadas à atividade residencial na área da Orla do Guaíba onde se localiza o antigo Estaleiro Só?”.


Parabéns a todos os cidadãos e cidadãs porto-alegrenses que disseram “NÃO”. E a luta continua depois das urnas....

Morte vida severina

sábado, 22 de agosto de 2009

O Domingo do NÃO

Domingo, 23 de agosto é o Dia do NÃO


NÃO deixe de ir à missa ou culto

NÃO deixe de visitar seus amigos...

NÃO deixe de ver o jogo...

NÃO deixe de fazer o bem aos outros

NÃO perca tempo. Faça tudo o que tens para fazer e, se for eleitor de Porto Alegre, NÃO deixe de votar NÃO na Consulta sobre a Orla do Guaíba.

NÃO esqueça de ver o Pôr-do-Sol na Orla do Guaíba. É muito lindo e ninguém pode tirar esse direito que Deus nos deu pela natureza.


A pergunta é:


“Além da atividade comercial já autorizada pela Lei Complementar nº 470, de 02 de janeiro de 2002, devem também ser permitidas edificações destinadas à atividade residencial na área da Orla do Guaíba onde se localiza o antigo Estaleiro Só?”


As respostas disponíveis:
1 – (X) NÃO
2 – ( ) SIM

A votação:
Os eleitores votarão em urnas eletrônicas, no dia 23 de agosto de 2009, das 9h às 17h. Serão 89 locais de votação. A lista completa de endereços, locais de votação está neste blog e outros, nos jornais e no site da Prefeitura de PoA:
http://lproweb.procempa.com.br/pmpa/prefpoa/cs/usu_doc/local_de_vota_por_zona.pdf

Nota de Pessar

Irmãos e irmãs:
Ontem dia 21 de Agosto,nos pagos de São Gabriel(RS), Fazenda Southall,a Brigada Militar da Senhora Yeda Rorato Crusius, para choque do latifúndio,matou covardemente,um irmão nosso Elton Brum da Silva, trabalhador sem terra militante do MST..
Elton que queria e sonhava em ter um pedaço de chão,para morar,trabalhar e dele tirar o seu pão,dar um futuro melhor e digno para os seus filhos.
Uma vida melhor,em que ele não teve,mas que ele sonhava e desejava dar a seus filhos.
Qual foi o crime que ele cometeu para ser covardemente assassinado,como foi?
O crime dele,foi talvez de querer trabalhar,coisa que neste estado e mundo é considerado uma loucura,quem ousar querer trabalhar,é barbaramente castigado e tratado como criminoso.
Que o sangue do Elton derramado na Fazenda Southall,que grita por justiça e paz,que clama aos céus,seja a semente de libertação e que a Reforma Agrária,seja feita de fato neste estado.
Minha solidariedade aos queridos irmãos e irmãs do MST e a familia do sempre lembrado Elton Brum da Silva,que o Deus da Vida e Nossa Senhora da Terra,os console e os de força nesta hora e na conquista da "Terra Prometida".
Agora foi ele
Por quê?
Quantos mais?
Até quando?
Desde algum lugar do Rio Grande do Sul
Por Terra, Paz, Justiça e Liberdade
Júlio Lázaro Torma

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Polícia do governo Yeda mata sem terra

Por coincidência ou não, a polícia de um governo corrupto é também mais perigosa e, em vez de representar segurança, causa medo nos cidadãos. Assim tem sido a polícia do governo Yeda no Rio Grande do Sul. Pelo que se sabe este é o governo com a mais acentuada marca de corrupção que o Estado gaúcho teve nos últimos anos. E também carrega consigo a forte marca da violência policial.


O mesmo governo que vem sendo acusado de roubos, agora também é o responsável pela morte de um trabalhador Sem Terra. Sabemos que uma pessoa que pratica roubos vive insegura e pode virar um assassino. Também um governo corrupto, como é o caso do Rio Grande do Sul, acaba perdendo a confiança do povo e busca se fortalecer no autoritarismo e na truculência policial e vira um governo assassino. Quem é capaz de roubar, também pode ser capaz de matar.


Dois fatos recentes marcam a polícia do governo Yeda como torturadora e assassina de trabalhadores Sem Terra. Há poucos dias, o MST denunciou a truculência e a prática de tortura por parte da Brigada Militar numa ação de reintegração de posse da Prefeitura de São Gabriel (RS), ocorrida na tarde do dia 12 de agosto.


Nesta ação da polícia, pelo menos trinta pessoas, entre crianças e adultos, ficaram feridas. Inclusive, muitas tiveram dedos e braços quebrados durante o despejo violento realizado pela Brigada Militar. Todos os Sem Terra, aproximadamente 250 pessoas, foram identificados e humilhados pela polícia. Os manifestantes foram encurralados dentro da própria Prefeitura, onde foram golpeados com cacetete, chutes e tapas dos policiais.


Não passou dez dias e a Brigada Militar, na manhã de 21 de agosto, matou um trabalhador Sem Terra durante uma desocupação na fazenda Southall no mesmo município de São Gabriel. Elton Brum da Silva, um trabalhador de 44 anos, com dois filhos, que sonhava conquistar um pedaço de terra para sua família, foi morto pela polícia com um tiro traiçoeiro e à queima-roupa.


O Sem Terra Silva vivia no sul do Rio Grande e quando o presidente Silva lhe deu esperanças de que ele também poderia compartilhar de uma fatia da “Terra Prometida”, mudou-se para São Gabriel, no coração do latifúndio, onde a terra é farta. Com dor e saudade, mas cheio de esperança, o Sem Terra Silva lutou pela terra. A terra que não herdou, mas que, pelo seu sangue nela derramado, será herança de seus filhos.


Após o lamentável ato da polícia, a governadora toda envergonhada, pede que se faça uma apuração rigorosa sobre a morte do Sem Terra Elton da Silva. Como se não tivéssemos certeza de que foi a própria polícia que tirou a vida daquele trabalhador pobre e desarmado, possuidor apenas do sonho de conquistar e libertar a terra.

Vale lembrar que no Rio Grande do Sul, tem sido comum a violência e o uso da força policial militar para reprimir protestos dos movimentos sociais. Especialmente quando os protestos apontam o dedo na pior ferida do governo Yeda, que é a corrupção.


Quase um ano da data para elegermos um novo governador para nosso Estado, sabemos que este atual governo, da Yeda Crusius do PSDB – aliada com DEM, PP, PMDB e PPS – está sendo um governo marcado pelo que de pior poderia acontecer num estado: corrupção, desvalorização do serviço público e repressão aos movimentos e organizações que sustentam a vida democrática da sociedade. Este governo já roubou e matou. E o que mais podemos esperar se não o seu fim?

Atreva-se

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

A BELEZA DA ORLA DO GUAÍBA NÃO COMPORTA “ESPIGÕES”


Que a partir de 23 de agosto seja possível continuar a repetir o gesto de Jerônimo de Ornellas, o primeiro habitante do morro Santana, que frequentemente subia o alto do morro e, contemplando lá de cima a paisagem do Delta do Jacuí, dizia: “Eu VI-A-MÃO de Deus”.

A mão de Deus que está representada pelos cinco rios: Jacuí, Caí, Sinos, Gravataí e Taquari. Os cinco rios representam os cinco dedos da mão de Deus.

Leia a seguir o belo texto do Irmão Antônio Cechin, fundador da Pastoral da Ecologia.

A BELEZA DA ORLA DO GUAÍBA NÃO COMPORTA “ESPIGÕES”

Volta e meia ouvimos alguém falar assim: “As praias do Rio Grande do Sul começam em Santa Catarina”. Ou então outros mais sarcásticos - um deles é um notável articulista de jornal - todos os anos, por ocasião da enxurrada dos “hermanos” argentinos rumo ao norte do Mampituba, saem com essa: “As praias de Santa Catarina dão de goleada nas praias do Rio Grande do Sul”. Ledo engano!... A realidade é que nosso Rio Grande tem dois mares, o de dentro, também apelidado de Costa Doce, e o de fora. Santa Catarina só tem um, o de fora.

Um pescador de Tramandaí, provocado pelo estranhamento de um banhista pela linha reta sem reentrância de espécie alguma, em nosso litoral, começando a norte, no Mampituba, limite com Santa Catarina, e se estendendo até o Chuí, na fronteira-sul com o Uruguai, retruca assim

“Famílias da roça, quando realizam o sonho da casa própria, costumam convidar amigos e vizinhos para a “festa da cumieira”. A colocação do telhado significa que a façanha está chegando ao “gran finale”. Aliás o provérbio dos antigos também confirma esse comportamento quando diz: “o coroamento da obra acontece no fim!”. Em bom latim: “finis coronat opus!”

Quem por primeiro assim procedeu, foi o próprio Deus, o supremo arquiteto do universo. Ele fez o mundo em sete dias. O último contorno de praias que criou foi no litoral brasileiro. Um grande mutirão: Deus com os seus anjos.

Na manhã do sexto dia começaram na costa norte da Terra de Santa Cruz, hoje Brasil, com a Amazônia. Vieram descendo rumo ao sul, num capricho só: praias cheias de recortes com enseadas, penínsulas, cabos, golfos, promontórios, baías, montanhas, estuários, etc. etc. Parecia mesmo um artesanato de mulher rendeira à beira d’água. Pelas 12 horas desse último dia de trabalho, tinham chegado à foz do Mampituba, divisa com o nosso Estado.

Deus Pai Criador se voltou então para os anjos e falou: “Vou me recolher ao seio da Trindade a fim de decidir como e quem vamos colocar para habitar a casa que está ficando pronta”. Deixou um “trabalho de casa” para ocupar os anjos: fazer as praias do Rio Grande do Sul que ainda faltavam.

A confabulação entre Pai, Filho e Espírito Santo concluiu que as criaturas humanas – homem e mulher – seriam feitos à “imagem e semelhança” das três divinas pessoas que, de tanto se amarem formam a melhor Comunidade.

Nesse meio tempo, os anjos arregaçaram as mangas e fizeram esse “retão” de praia a contrastar com tudo que haviam feito antes em companhia do Criador do mundo.

Pelo meio da tarde Deus-Pai, depois de ter resolvido com as duas outras divinas pessoas, o jeito que teriam os moradores da Casa Terra, veio para junto de seus anjos para ver o serviço. Quando deparou com a imensa linha reta da costa, o Criador levou um susto.

- “Então toda uma semana em que trabalhamos juntos não foi suficiente para vocês aprenderem?!”

Os anjos ficaram tristes e até um deles ensaiou uma lágrima, mas Deus que é Amor, imediatamente atalhou: “Nada, nada grave! Agora, retomando nosso mutirão, vamos mostrar as maravilhas que somos capazes de fazer no interior do continente. Vamos fazer o mar de dentro.” Falou e imediatamente espalmou a mão sobre o “contineL-E2�� que é o Rio Grande”. A palma da mão divina é o Guaíba. Cada um dos cinco dedos são os cinco rios: Jacuí, Caí, Sinos, Gravataí e Taquari. Isso tudo, naturalmente ao lado de inúmeros arroios, cascatas, lagos, lagunas, a Lagoa dos índios Patos que é a maior da América, etc. etc.

Dizem até que Jerônimo de Ornellas, o primeiro habitante, do alto do morro Santana em que morava, contemplava, lá de cima o Delta do Jacuí e repetia sempre: Eu VI-A-MÃO de Deus. Expressão que depois passou a ser o nome do município lindeiro de Porto Alegre. .

Estava terminada a obra da Criação e a marca de Deus, - sua assinatura – é o Guaíba com os cinco dedos da mão se espraiando Rio Grande acima, em cujas margens vivem os dois terços de toda a população da nossa Terra querida, “defendida por Sepé”.

Será que saberemos preservar, a 23 de agosto, com o primeiro plebiscito de caráter ecológico de nossa história, as maravilhas da natureza com que Deus nos presenteou?...

Por Irmão Antônio Cechin

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Manifesto da Pastoral da Ecologia sobre o projeto de construção na Orla do Guaíba

Manifesto da Pastoral da Ecologia sobre o projeto do Pontal do Estaleiro e a Consulta Pública do dia 23 de agosto de 2009, em Porto Alegre.

“No princípio, Deus criou o céu e a terra” (Gn 1,1). “E Deus viu tudo o que havia feito, e tudo era muito bom” (Gn 1,31). Pleno de amor e liberdade, durante o tempo que não sabemos calcular – simbolizado em sete dias no relato bíblico – Deus criou a vida, as mais diversas e infinitas formas de vida. E tudo nos foi dado, não para destruirmos, mas para cuidar e preservar.


Deus, o criador, o defensor da vida, continua sua obra criacional, protegendo e libertando a vida de tudo aquilo que possa lhe causar destruição. E para isso, Ele nos chamou a sermos seus companheiros, co-criadores da sua obra.


A história, no entanto, mostra o quanto nós humanos nos enganamos a nós próprios querendo ser os donos do mundo. Mas, Deus não nos deu o título de posse e propriedade do planeta Terra. Ele nos deu muito mais que isso, confiando-nos a missão de cuidar, zelar e preservar o mundo todo e toda a sua riqueza natural para garantir a vida em todas as gerações.


A Bíblia, numa bela poesia, relata que “a terra estava sem forma e vazia; as trevas cobriam o abismo... Deus disse: ‘Que exista a luz!’ E a luz começou a existir...” (Gn 1,2-3). E como pode, agora, alguém pretender esconder a luz do Sol em seu poente sobre as águas do Guaíba? Querem, por acaso, ser mais do que Deus que a todos deu a beleza do Pôr-do-Sol?


Deus criou conversando com sua criação, dialogando com sua obra de arte. Ele próprio reconheceu e pronunciou a beleza de cada coisa que criou. E assim, podemos dizer que, quando criou o Pôr-do-Sol do Guaíba, Deus proseava com a bela paisagem que criava, se admirando da beleza e sentindo a alegria de poder doar tal esplendor ao ser humano, a quem também confiou a missão de cuidar.


E agora, sem dialogar com ninguém, sem ao menos pedir licença, aqueles que pensam ser os ‘donos do mundo’ querem se apropriar da Orla do Guaíba, construindo prédios que servem de muros para esconder a paisagem. Querem privatizar a beleza que Deus nos deu. Querem privatizar uma obra de arte pintada pelas mãos de Deus. Mas, nós não vamos deixar.


É uma questão de fé, para nós cristãos, defender a natureza nas suas mais diversas formas de vida e garantir que todos possam ter acesso aos recursos e às paisagens naturais. Não podemos permitir nem nos omitir diante de planos e projetos que ferrem a integridade da criação de Deus. E assim, como Pastoral da Ecologia, nos manifestamos contra as obras da Orla do Guaíba, no Pontal do Estaleiro.


Em acordo com todos os motivos apresentados pela Frente do NÃO, nos motivamos também pela nossa fé. Compreendemos e alertamos que a concretização do projeto em questão, causará danosos impactos ambientais e problemas de acessibilidade da população. E, além de representar a privatização da Orla do Guaíba, o projeto vem sendo encaminhado de maneira não ética. Não podemos permitir tal agressão à vida. E, por motivos de caráter socioambientais e, em nome da fé, entendemos que é preciso dizer NÃO.


Como pastoral de Igreja, nos somamos a luta da sociedade civil, ONGs e Movimentos que se articulam e mobilizam militantes na campanha do voto NÃO na Consulta Pública do dia 23 de agosto, de 2009 em Porto Alegre. E convidamos nossos irmãos e irmãs na fé, nossos companheiros e companheiras de caminhada e todo o povo cristão a testemunhar a fé viva no Deus criador e defensor da vida.

Jesus recomendou no Evangelho: “Diga apenas sim, quando é sim; e não, quando é não” (Mt 5, 37). Agora, portanto, é hora de dizer NÃO.


Confira os locais de votação em nosso blog (www.pastoraldaecologia.blogspot.com), convide seus colegas, amigos e familiares e ajude a fortalecer o NÃO.


E assim, não vamos pecar nem por atos nem por omissão.


Pastoral da Ecologia – CNBB Sul 3 – Rio Grande do Sul

Porto Alegre 16 de agosto de 2009.

terça-feira, 11 de agosto de 2009

De Imoralidade em imoralidade

por Júlio Lázaro Torma
Na última semana os jovens promotores do Ministério Público Federal de Santa Maria(RS),declararam,o goverlixo como réu,em crime de improbidade administrativa.No caso a desgovernadora e oito integrantes do seu governo. O governo de Yeda Rorato Crusius é um governo marcado de imaoralidade,desde a sua gestação,ainda na campanha eleitoral,como bem ilustra a declaração do marqueteiro Francisco Santa Rita ao abandonar a campanha da então candidata tucana,ele declarou: "É UM PERIGO SE ESTÁ GENTE VENCER". Muitos não acreditaram e criticaram o então marqueteiro Santa Rita,talvez nesta frase estava escondido o que tem no ovo da serpente,que é o goverlixo tucano-democratas da desgovernadora Yeda Rorato Crusius. Durante a campanha Yeda e o vice Feijó brigavam que nem cachorro e gato,um dizia uma coisa e o outro desmentia,assim foi sobre o aumento de impostos e depois com o pacote,presente de Natal na véspera da posse. Tal quadrilha cobertada por uma sigla mostrou para que veio fazer com o seu discurso opaco e oportunista de novidade e mentira,pois o PSDB,sempre mamou nas tetas do estado nos governos Pedro Simon(1986-1990), Alceu Collares(PDT) (1991-1994),Antônio Britto(PMDB) (1994-1998) e de Germano Rigotto( PMDB) (2003-2006),nos três como vice. O governo marcado por imoralidade como caso de enriquecimento ilícito tráfico de influência de transnacionais das papeleiras e do tabaco,além de desvio do DAER, dos R$ 44 milhões de DETRAN,o fechamento de escolas intinerantes,sucatamento das escolas públicas estaduais,criminalização dos movimentos sociais do campo e dos funcionários públicos estaduais. Os casos de caixa dois do caixa dois na campanha,desvio de verbas da merenda escolar,a compra da mansão de Yeda,a morte misteriosa de Marcelo Cavalcante, o barraco e bate boca com os professores,com a prisão da presidente do CEPRS,as trapalhadas do chefe do gabinete da governadora,demostram que o goverlixo está atolado num mar de lama de corrupção e de imoralidades,pois cada semana aparece um fato novo envolvendo o goverlixo de dona Yeda Roubando Crusius e de outros membros de sua base de apoio. Assim como mostrou as operações da Policia Federal, Rodin e Solidária. A governadora não tem moral em fazer criticas aos outros e se declarar vitima da oposição,pois ela sim e seus comparsas que não são anjos ou santos,em nome do enriquecimento fácil,se atolaram no brejo de sua arrogância,incompetência acreditando que a verdade não vem átona que a justiça é cega e que não vê. O goverlixo acabou,não adianta a ex governadora tirar de sua cartola formulas mágicas para enganar a população.Pois as suas atitudes mostram um espetáculo inqualificavel,último grau de rebaixamento cívico e de indignidade ao afirmar que as denúncias do Ministério Público foi um "abuso do direito". Sim "Houve um abuso do direito" do cidadão gaúcho que votou nella como do que não votou nella,quando começou a roubalheira nos cofres públicos do estado como mostrou as investigações da Policia Federal e do Ministério Público Federal. Queremos como cidadãos honrados do nosso estado,que aqueles que fraudaram o nosso patrimônio público,devolvam nota por nota e que pagam como réus o delito que cometeram. Pois nós o povo gaúcho somos o verdadeiro dono do poder temos o direito soberano de destituir aqueles que foram colocados pra nos governar,está mais do que na hora de dona Yeda e de sua turma,sair pela porta dos fundos do Palácio Piratini. E esperamos que o MPF e a CPI da Corrupção fasão a sua parte,de resgatar a moralidade e a ética na gestão e na condução de um futuro melhor para o estado,e que o PSDB, nunca mais volte a nos governar.

domingo, 2 de agosto de 2009

O Olho do Consumidor

Cartilha orienta sobre o alimento orgânico

Produto sem agrotóxico. É assim que o alimento orgânico ficou conhecido pelos consumidores. Mas o produto da agricultura orgânica vai além disso. É fruto de uma produção ecologicamente correta, que cumpre legislação sanitária e enriquece o solo naturalmente. Nessa produção, os direitos dos trabalhadores também são respeitados e há a prática do comércio justo. Faça o download da Cartilha (pdf) no site Ecologia e Espiritualidade.

Audiência Pública: Terra de Quilombo

quarta-feira, 29 de julho de 2009

5° Seminário Nacional de Teologia da Libertação e Educação Popular

Objetivo: Analisar as raízes históricas e o momento atual das Teologias da Libertação e da Educação Popular na América Latina, reforçando a sua importância na mobilização e na ação dos grupos populares e povos esquecidos pela história oficial latino-americana.

Público Alvo: Educadores e educadoras populares, agentes de pastorais, agentes de movimentos sociais, estudantes e interessados na temática.

Assessores:

  • Edmilson Schinelo – Assessor do CEBI (Centro de Estudos Bíblicos) e de movimentos populares. Mestrando em Teologia. Possui vários artigos e livros publicados na área da TdL e EP, sob o enfoque de análise de conjuntura. Foi assessor no 2° Seminário Nacional de Teologia da Libertação e Educação Popular.
  • Graciela Chamorro - Doutora em Teologia pela Escola Superior de Teologia de São Leopoldo e em Antropologia pela Philipps Universität de Marburgo, Alemanha. Professora de História Indígena na Unversidade Federal da Grande Dourados, Mato Grosso do Sul;
  • Jaime José Zitkoski - Doutor em Educação pela UFRGS. Mestre em filosofia pela PUCRS. Professor de Filosofia da Educação na FACED/UFRGS. Professor no PPG de Educação da UFRGS com orientação na temática Educação Popular.

Data: 18 a 20 de setembro de 2009.

Local: Casa de Encontro São Lourenço Brindisi (Capuchinhos) - Rua Paulino Chaves, 291 - Bairro Santo Antônio - Porto Alegre/RS.

Taxa: Até o dia 13 de setembro, R$ 55,00. Após esta data e no local, R$ 60,00. Inclui alimentação, hospedagem e certificado.

Mais informações e inscões

www.ceca-rs.org

As vagas são limitadas! Garanta logo sua participação fazendo a inscrição!

domingo, 26 de julho de 2009

São Cristovão




São Cristovão protetor
a vós viemos trazendo a
nossa oração e louvor

Somos todos caminheiros
nesta dura e longa
jornada rumo a casa de
Deus nosso Pai

Pois os caminhos são duros
perigosos e tortuosos
por onde temos que passar

Pois vós o Santo Querido
pela vossa bondade e amor
fostes agraciado em carregar
nos ombros o Jesus Menino

na travessia de um rio
perigoso
enfrentando as correntezas
que lhe ameaçavam derrubar

ajudai-me a enfrentar os
perigos,tentações que
encontro no meu caminhar

que as ciladas armadas e
preparadas pelos homens e
o demônio nesta longa e
dura jornada

não consiga me derrubar e
nem me desviar da rota
traçada

O Santo amabilicimo
que transporta-se o
menino Jesus nos ombros

Fazei com que eu carregue-o
todos os dias de minha vida
dentro do meu coração

que eu possa leva-lo e
apresentar à todos aqueles
que eu encontrar nesta
dura e longa jornada

e que sintam em suas vidas
a beleza e a doçura
daquele que com amor e
carinho fez o mundo

Que eu siga com Fé
rumo a casa do Pai a
nossa morada celeste

Onde alegres viveremos
e cantaremos os nossos
louvores a Deus que por
amor,a sua imagem nos
criou
(Júlio Lázaro Torma)

sábado, 25 de julho de 2009

“Trem das CEBs” segue de Porto Velho para o Ceará

Com o voto de nove regionais da CNBB, o estado do Ceará foi escolhido para acolher o 13° Encontro Intereclesial das CEBs, em 2013. Além do Ceará (Regional Nordeste 1 da CNBB), São Paulo (Sul 1), com dois votos, e Paraná (Sul 2), com seis votos, concorreram para sediar o próximo intereclesial.

O anúncio do Ceará como sede do 13° Intereclesial foi recebido com muita festa pelos nordestinos e demais participantes do encontro. Crato será a diocese anfitriã.

Às 15h (horário local), teve início a caminhada dos participantes do encontro em direção ao Estádio Aloísio Ferreira onde foi celebrada a missa de encerramento. Durante a missa, os 17 regionais da CNBB apresentaram os compromissos assumidos neste encontro.
Fonte: www.cebs12.org.br

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Sandinistas: reelembrar é preciso


por Júlio Lázaro Torma


"Só os operários e os camponeses irão triunfar" (Augusto César Sandino)


Durante toda uma década,para todos os lutadores sociais e de esquerda a pequena Nicarágua(Nica),foi um referencial de luta apaixonante,assim como Cuba era o sonho de ontem(anos de 1960-1970) e a Nicarágua foi a realidade destes lutadores dos anos de 1980. Neste dia 19 de Julho de 1979,o povo nicaraguense e a Frente Sandinista de Libertação Nacional(FSLN),aliados aos setores democráticos da burguesia produtiva nacional,derrotaram uma das ditaduras mais corruptas e sangüinarias dao mundo,a ditadura somozista,que governou o pais por quatro décadas.Onde a familia Somoza controlava grande parte das riquezas nacionais como a terra,indústria e governava a mão de ferro uma das ditaduras mais conservadora,violenta e corrupta do mundo,com o apóio explicito dos Estados Unidos da América. Em 1959,um pequeno pais da América Central, Cuba após dois anos de luta guerrilheira em Sierra Maestra,protagonizou uma revolução popular que derruba a ditadura militar de Fulgêncio Batista e implanta um governo popular,o primeiro da América,com os jovens Fidel Castro, Raul Castro, Ernesto Che Guevara e Camilo Cinfuegos. A FSLN,um movimento guerrilheiro fundado em 1961,pelos jovens Carlos Fonseca,Tomás Borge e Sílvio Mayorga,dos três fundadores só Tomás Borge vive o triunfo revolucionário. Foram dezoito anos de luta guerrilheira contra a ditadura e a divisão da Frente em três tendências(Guerra Popular Prolongada, Proletária e Insurrecional),na qual era composto por estudantes,operários,camponeses.Neste tempo atuaram no completo isolamento perante as massas populares,fizeram ações espetaculares como a tomada do Palácio Nacional,a casa de um empresário que estava fazendo uma festa para executivos de multinacionais. Os guerrilheiros organizam o povo nos campos e nas cidades,a capital Manágua é destruída por um forte terremoto em 1972,o que gera o descontentamento popular em relação ao governo de Anastácio Somoza e a pobreza reinante no pais. A luta contra a ditadura une em torno dos 1500 guerrilheiros da FSLN, escritores, jornalistas, empresários, professores universitários, setores das Igrejas Católica, Episcopal Anglicana, Batista e Evangélica, médicos,advogados entre outros. Em janeiro morre o jornalista Pedro Chamorro,dono do maior jornal do pais La Prensa de oposição a Somoza.

A morte de Chamorro cria comoção nacional e aumenta a oposição ao governo e a simpatia aos guerrilheiros sandinistas,do outro lado a burguesia cria a FAO( Frente Amplia de Oposição),que devende a renuncia de Somoza e a criação de um governo pró E.U.A.Com o assinato de Chamorro os Estados Unidos da América,principal aliado de Somoza,rompe relações com o governo somozista. Sandinismo em homenagem ao líder negro camponês Augusto César Sandino que nos anos de 1930,lutou contra a intervenção estadunidense na Nicarágua, cuja bandeira era vermelha e negra. Após a tomada do poder pelos sandinistas, Somoza foge com três aviões para Miami e depois se refugia no Paraguai,onde é assassinado com um tiro de bazuca na cabeça. Os Sandinistas,tomam o poder através de uma junta que conta com o apoio da viuva de Pedro Chamorro,a senhora Violeta Chamorro,que depois se torna inimiga da revolução,o governo popular mescla o marxismo,cristianismo e o nacionalismo de Sandino. Um governo que desapropriou as terras e bens da familia Somoza,que deu liberdade aos partidos políticos,religiões em que a propriedade privada foi respeitada,economia mista,onde a economia socialista e capitalista conviviam juntas.No campo ideológica a revolução era anti-imperialista e não alinhada a nenhum bloco( E.U.A e URSS). A revolução sofreu um bloqueio econômico dos E.U.A,que forçou um alinhamento com a União Soviética,o empresariado sai do governo e setores da Igreja no caso Dom Obano Bravo,arcebispo de Manágua se unem e apóiam os contras da Frente Democrática Nicaraguense( FDN),soldados somozistas financiados pelos Estados Unidos. Os E.U.A,financiam os contras com o dinheiro do narcotráfico e de armas vendidos ao Irã,o famoso escândalo "Irã-contras",armas usadas na guerra Irã-Iraque. Durante os onze anos de governo popular de Daniel Ortega(FSLN) de 1979-1990,mesmo em meio as destruições matériais e humanas causadas pela contra e dos empresários ambiciosos a revolução realizou grandes feitos como a constituinte com grande participação popular,eleições presidenciais de 1985,com o triunfo da FSLN. Distribuição de 2milhões de hectares aos camponeses,construção de casa populares para 90 mil familias,redução do analfabetismo de 53% para 12% da população,onde estudantes e professores voluntariamente alfabetizavam o pov,redução da mortalidade infantil e de doenças como a febre amarela e o reflorestamento de áreas devastadas com as árvores nativas da região.

A derrota eleitoral dos Sandinistas para os contras tres meses após a queda do muro de Berlim(1989),foi um ato terrorista,onde 4 milhões de nicaraguenses,com uma AR 15 na cabeça e cansados de guerra,tiveram que se despir de sua dignidade ao votar na direita,cuja candidata foi Violeta Chamorro. A revolução Sandionista foi a revolução mais bonita do mundo,pois ela foi fruto da luta,das cores,dor,paixão,alegria de um povo.Em 2007,a FSLN,retorna ao governo no Pálacio Nacional com Daniel Ortega na frente,mesmo que hoje a pequena Nica após tempos de guerra e de neoliberalismo de 1991-2007,foi reduzida a pobreza,o seu povo ainda tem fé e esperança de construir uma Patria Libre e soberana,o sonho de todos os sandinistas e do povo nicaraguense.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

CEBs: Ecologia e Missão - Do ventre da Terra, o grito que vem da Amazônia


CEBs: Ecologia e Missão

Do ventre da Terra, o grito que vem da Amazônia

por Júlio Lázaro Torma

As Comunidades Eclesiais de Base de todo o Brasil,estão se preparando e organizando caravanas para participarem do 12º Intereclesial de CEBs, que ocorrerá em Porto Velho no estado de Rondônia nos dias 21 a 25 de Julho de 2009. Do Rio Grande do Sul,estará partindo três ônibus e da Diocese de Pelotas,irá 14 delegados (a)s,que ficarão 13 dias fora de casa,quatro dias de viagem ,cinco de encontro e quatro dias de retorno para as suas residencias. As CEBs nos últimos anos estão assumindo a luta e o compromisso com a questão ecologica e a defesa da vida do planeta terra a "nossa casa comum". O encontro realizado na Amazônia tem dois objetivos,o primeiro o encontro com está realidade e população esquecidos pela maioria dos brasileiros e o segundo o compromisso com a preservação da floresta amazônica e com a vida na terra. Neste território ameaçado pela sede e fome de lucro das transnacionais,das madeireiras,latifundiários que destroem a flora e a fauna,expulsando as populações nativas.Neste território que tem apróximadamente 25 milhões de habitantes,mais de 500 paróquias,constituídas por uma rede de 10 mil CEBs,em uma população constituída por povos indígenas, ribeirinhos, pescadores, extrativistas, quilombolas e caboclos. Terra marcada por fortes conflitos agrários e pelo sangue derramado dos mártires como o Pe.Rodolfo Lunkenbein e o índio Lourenço Simão, Wilson de Souza Pinheiro, José Eduardo, Cacique Marçal de Souza(Tupai), Pe. Ezequiel Ramim, Francisco"Chico"Mendes, Pe. João BoscoBurnier,Ir Adelaide, Pe. Josimo Moraes Tavares, Ir Dorothy Stang, Vanessa dos Santos (4 anos), dos massacres de 14 índios tikunas no Rio Solimões, dos yanomanis de Roraima, sem terra de Corumbiara(RO), Eldorado dos Carajás. Amazônia é o pulmão do planeta,ela como toda a criação dão sinais visíveis e clamam contra devastação em que o planeta, sente como as secas prolongadas no Rio Grande do Sul, Uruguai e Argentina, as enchentes em Pelotas(RS),vale do Itajai(SC),Nordeste e o dilúvio de Mianmar em que matou cem mil pessoas. O derretimento das geleiras polares, redução do nível das águas dos rios,o aumento das águas dos oceanos,o aparecimento de desertos em áreas de produção agrícola. A natureza paciente e quieta começa a reagir e a se revoltar, como escrevia São Boaventura no séc XIII: "pugnabit orbis terrarum contra insanus" (Se o homem não respeita o mundo,então o mundo se revoltará contra ele).Mas a natureza na sua revolta e vingança não vai destruir o planeta,mas como escreve James Lovelok," o planeta será um planeta pobre, tórrido, eliminando cerca de 70% da vida,inclusive das vidas humanas.Depois de se reajustar, o planeta se reorganiza de outra forma." O ser humano não faz a sua parte na preservação do planeta e nem muda de mentalidade.O Grupo dos 8 paises mais industrializadosnão estão nem ai para a preservação do planeta,as nossas elites gastam o dobro em coisas surplefuras e só querem consumir em vez de preservar a vida na terra. As CEBs,devem revigorar e práticar uma espiritualidade eco-libertadora nas localidades em que estão inseridas,o encontro com a Amazônia revigorará está fotossintesse. Pois nós membros das CEBs,devemos ter como batizados a missão prófetica de denunciar,celebrar,lutar,anunciar e viver está ecoespiritualidade,no local em que moramos e trabalhamos.Pois lutar em defesa da ecologia não é só preservar a floresta Amazônica,mas o meio ambiente em que estamos inseridos,pois o planeta é de todos e como nos falava a campanha da fraternidade de 1979:"Preserve o que é de Todos". Rezo para que o grito do ventre da mãe terra que vem da Amazõnia seja ouvido pelas mais de 80 mil Cebs espalhadas pelo pais,que reunem de 20 a 200 pessoas.Pois como cristãos somos chamados a salvar a vida na terra e transformar a terra em terra da vida. Rezemos para que o Deus da vida esteja neste encontro da Amazônia,e que seje um novo Pentecostes.